sábado, 23 de novembro de 2013

Pt. 1

E então, porque somos assim? Temos uma lógica tão falha, tão cega e infantil. Sou a unica a acreditar que transtornos alimentares NÃO são amigos? Eu penso em morrer, penso em me machucar, penso em tudo que me destrói por dentro, então como isso é bom? Vejo as "novatas" idolatrando e levando essa história de Ana/Mia na brincadeira, adotando como estilo de vida. Isso mata, sabe?

Perdoem chegar assim, mas como todo mundo aqui, tenho passado pela fase "vida de merda". Ganhei 2kg, choro sempre que estou sozinha e me sinto cada vez mais repugnante e feia. Quem nunca, né? Uma coisa me chateou bastante agora pouco, minha irmã de 11 anos está mostrando claros sinais de anorexia, e meu pai não vê. Eu peguei ela jogando a unica refeição do dia no lixo. Ela é só osso e parece estar obcecada com isso. 11 anos... nessa idade eu pensava em doces e Polly. 
Ando vendo diversos canais de comunicação abordando o tema anorexia. Seria essa, de alguma fora, uma influência? Estou preocupada. 
Não me sinto à vontade agora pra falar sobre superficialidades do meu dia, mas logo eu volto e prometo ser mais... tranquila e agradável. O foco hoje é apenas fazer um apelo: Meninas, se tiverem como, NÃO entrem nessa! Anorexia não é uma coisa boa. Mata! Busquem outras formas de se sentirem bem. Acreditem, isso é como se atirar num abismo que termina no inferno.

3 comentários:

Bárbara disse...

Oi, Lari! Estou com saudades. Falei com a Cássia de novo hoje. haha. Encho o saco mesmo!
Então, é inútil a gente tentar convencer essas meninas de que o cabelo vai cair, as unhas vão ficar fracas, os dentes amarelos e elas não vão ser lindas como as atrizes de hollywood que tem milhões de dólares pra tratarem tudo isso, ter um personal trainner e tudo mais que elas não tem e vão acabar morrendo. Se preocupe mesmo com a sua irmã. Aqui em casa não tem nada disso. Todo mundo adora comida. Mas minha mãe e irmã são super magras. Eu to tentando ficar gordinha mesmo. ÓBVIO que não comecei a comer normalmente, nem nada. To tentando devagar, não pirar quando sinto meu corpo branco, feio e engordurado. Tentando aceita-lo ainda que eu o veja assim. Quem sabe com o tempo eu paro com a mia e coma um prato de comida decente, né? Quem sabe. Não posso mudar o que sinto ou vejo no espelho, mas posso tentar aceitar. Só tentativas de melhorar minha qualidade de vida. Afinal, eu acho as meninas gordinhas tão lindas, porque não me acho também? Só porque eu não sou gordinha e sim flácida e asquerosa? HAHA. Bobagem.
Beijos, beijos!

Maria disse...

Vim retribuir sua visita e agradecer o fato de ter ficado ficado por lá...Eu vou ficar por aqui também...dê algum tempo a si própria para se encontrar Larissa...só depois do encontro interior se dará o exterior! Força e ânimo!
Bjs
maria

Alie disse...

Também acho meio esquizofrenia esse negócio de ana/mia minhas amigas. Eu só quero emagrecer, não quero amigas imaginárias, não quero ter duas doenças rs.
Te entendo nesse negócio de se sentir mal com o próprio corpo, se sentir repugnante e feia e ficar triste quando engorda, e se descobrir o segredo pra se sentir bem me conta. :P
Quanto a sua irmãzinha, será que ela não está te imitando? As vezes a gente acha que ninguém tá vendo, mas sei la, pode ser que sim. Ou ouvir vc comentando do proprio corpo, ou mesmo chorando em casa. Crianças são espertas e sensitivas, não subestime! Acho que vale a pena não deixar isso quieto, e sim conversar de boa, perguntar que que ta acontecendo, e finalizar com um lindo abraço irmã-irmã (lol q meigo). Mas sério, acho que vale a pena. Não deixe isso pra lá. Se tem uma pessoa em q conversa pode fazer uma puta diferença é ela.

Postar um comentário

 

©2009 AIN'T IT FUN? | by TNB